18 de Janeiro de 2019 | 19:36

Notícias » Política

LEI ORÇAMENTÁRIA: Nova LOA deve aumentar déficit para R$ 2 bilhões

Cidade: Arenápolis
07/01/2019 às 08:42

Autor: Pablo Rodrigo
Fonte: Gazeta Digital

Após 7 dias no comando do governo de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) apresentará os números oficiais do caixa do Estado que levaram o chefe do Palácio Paiaguás a atrasar o pagamento dos salários do mês de dezembro do servidores públicos. A coletiva, marcada para esta terça-feira (8), também deverá trazer os números da nova Lei Orçamentária (LOA 2019) que será entregue em substituição à apresentada pelo ex-governador Pedro Taques (PSDB). A previsão é que o déficit chegue aos R$ 2 bilhões, ou seja, R$ 300 milhões a mais do que foi projetado pelo governo anterior.  

O fechamento da nova peça orçamentária ocorrerá hoje durante reunião entre Mendes e os integrantes de sua equipe econômica para que possa ser protocolada na Assembleia pelo chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.   

Já em relação à reação do Fórum Sindical, que não descarta greve geral do funcionalismo público em razão do escalonamento salarial (em três vezes até o dia 30 de janeiro, com parcelamento em 4 vezes do 13º salário atrasado de todos os funcionários comissionados, de 50% do servidores das autarquias, além dos servidores públicos que fazem aniversário em novembro e dezembro), Mendes os desafia a apresentar uma solução para evitar o atraso.   

“Se eles me mostrarem como conseguir dinheiro para pagarmos todos os salários e o 13º em atraso, eu faço isso na mesma hora. Estou de portas abertas para que me tragam uma solução”, disse Mendes. Segundo o governador, a realidade do caixa do Estado é pior do que se imaginava durante a transição e que não há dinheiro para pagar fornecedores. “Nós vamos mostrar para a sociedade a real situação de Mato Grosso, assim como as medidas duras que teremos que tomar para tirar o Estado desta situação”.   

O governador ainda explica que o escalonamento dos salários, bem como o parcelamento do 13º, mostram o compromisso de sua gestão em dizer a verdade. “Não tem porque ficar escondendo a notícia ruim. Chegamos neste ponto. Agora é mostrar a verdade trabalhar muito para superar esse caos”.   

Em nota publicada no último sábado (5), o Fórum Sindical criticou a decisão de Mendes e o comparou ao ex-governador Pedro Taques, afirmando que ele utiliza da mesma tática, responsabilizando os próprios servidores pela crise fiscal e financeira do Estado. Os sindicalistas ainda solicitam uma reunião com o governador para discutir as medidas que foram tomadas pelo governo.  

Para o vice-governador, Otaviano Pivetta (PDT), as reivindicações dos sindicalistas para que os salários sejam pagos em dia é legitima. Porém, a situação financeira não permite que o governo cumpra essa regra. “Os números serão abertos para toda a sociedade. E não haverá dúvidas sobre a honestidade e os propósitos deste governo”.

Voltar para Notícias » Política